História Micronacional


origem da história micronacional do Reino da Escócia, é um cercada por mistérios, mitos e lendas, de um momento de poucos registros mas podemos inicia-la em 01 de Agosto de 2012, quando o Sua Majestade Bruce I emite Ato de Fundação do Reino da Escocia, o que levou a emissão de tal ato entraria na areá de especulações.

Já no primeiro dia de existência o reino enfrenta sua primeira dificuldade e por motivos diplomáticos com o Reino Unido, que era ativo na época e possuía a posse do território da Escócia, S.M. Bruce I em 02 de Agosto de 2012 muda o nome do Reino para Reino de Highland, ato que resultou no reconhecimento do reino por parte do Reino da Grã-Bretanha e Irlandas.

Nos meses que se seguiram, muitas lutas e desafios, S.M. Bruce I caminha tetando organizar e estruturar uma nação em surgimento e trabalhando efetivamente na politica externa assim conseguindo reconhecimento de; Império de Ouro Verde em 04 de Outubro de 2012, Repúblicas Unidas de Portugal e Algarves em 06 de Novembro de 2012.

Mas não tardou muito para que o reino passasse pelo seu segundo obstaculo, no dia 26 de Março de 2013, em Halifax, S.M. Bruce I se afasta do micromundo por motivos pessoais.

O noticia abalou as estruturas do reino, mas não por muito tempo pois logo Bruce I decide por transferir o reino à um micronacionalista que a anos já vinha demonstrando excelente competência micronacional, S.A.R. Vinicius Januzzi ton Peregrinus Logos príncipe de Nova Brownsea, do Reino de Pathros.

Membro da Dinastia Peregrina, com monarquias em três grande micronações, Reino da Itália, Reino de Pathros, S.A.R. Vinícius Januzzi se preocupou no primeiro ano em organizar as estruturas internas do reino, sendo o mesmo entronado como Rei da Highland no dia 23 de Abril de 2014, passando a se chamar S.M. Vinícius I MacLogos Pellegrini (conheça mais da historia do monarca clicando aqui) tendo como primeiro ato, ocorrido no mesmo dia, a anexação do Território de Nova Brownsea. Já no dia 29 de Abril de 2014 S.M. Vinícius I MacLogos Pellegrini, institui o Código Nobiliárquico regulamentando assim a ordem Heráldica de Highland.

Quase um ano depois, no dia 30 de Janeiro de 2015, foi finalmente conclusa e promulgada a Constituição do Reino de Highland. E quase um ano posterior, em 22 de Fevereiro de 2015, com a inatividade do Reino Unido, o território da Escócia é anexado por Highland, e consequentemente a alteração da capital de Halifax para Edimburgo.

Com o novo microestado formado e estruturado S.M. Vinícius I MacLogos Pellegrini partiu em busca de estruturar a politica externa do novo reino. O primeiro reconhecimento veio por parte da nações peregrinas; Reino de Pathros, Reino da Itália e Império Alemão, todos em 23 de fevereiro de 2015. No mesmo dia ainda, Sua Majestade conseguiu o reconhecimento do Estado do Badakhshan. No dia 02 de março de 2015 foi a vez do Principado de São Vicente reconhecer a nação.

A politica externa do Reino da Escócia caminhava a passos largos, depois de aproximações com outros estados iniciou a era dos tratados internacionais, o primeiro a ser assinado foi o Acordo de Edimburgo entre o Reino da Itália e o Reino da Escócia no dia 20 de Janeiro de 2016. Seis dias depois foi a vez do reino participar na Ratificação o Pacto Peregrino. No dia 31 de janeiro de 2016 o o Reino da Escorvânia reconhece o Reino da Escócia.

Mas o grande auge da politica externa ocorreu no dia 1 de fevereiro de 2016, com a assinatura do Tratado de Florença, que entre outras coisas, Alemanha, Itália e Pathros declaravam sua anuência quanto à adesão ao Pacto Peregrino por parte do Reino da Escócia. E no dia 04 de abril de 2016, o Reino da França e do País de Padme reconhecem a nação.

Com a politica externa solida e estruturada, S.M.R Vinícius I MacLogos Pellegrini foca suas atenções para o politica interna do reino, seguindo num rumo firme de crescimento, a nação aumentou em número de súditos, os clãs familiares MacBoynd’s e MacLancaster surgem no reino, facilitando assim a decisão de Sua Majestade de no dia 13 de junho de 2016 efetuar a abertura do gabinete do primeiro ministro, que cuidaria da politica interna do reino, bem como a abertura do Senado Real Escocês inserindo assim um marco na democracia escocesa.

Nesta curta história, o Reino da Escócia se fez reconhecido no micronacionalismo lusófonico e como uma peça de equilibrio entre as potências micronacionais lusófonas.

Escrito por S.A.R. Júlio César MacLogos Pellegrini
Biógrafo Oficial do Reino

Não somos membros de qualquer nação real ou movimento separatista.
Este WEB Site destina-se única e exclusivamente aos praticantes do hobbie chamado micronacionalismo.
Todos os direitos de imagem e nome reservados a Escócia real.